quarta-feira, 18 de março de 2009

Antes de continuar....


Olá pessoal!
Antes dar continuidade ao assunto emagrecimento, achei interessante “traduzir” alguns termos que vamos encontrar nas postagens futuras para facilitar o entendimento dos textos.
Acredito que muitos saibam e com certeza ouvem falar com certa frequência, mas outros podem não estar tão familiarizados assim!
Então vamos lá!

* Dieta – Alimentação que realizamos diariamente (pode ser para emagrecer, engordar, diminuir o colesterol, ajudar no controle da pressão arterial, manter o peso, reduzir a produção de radicais livres, etc.), ou seja, a rotina alimentar diária é uma DIETA;
* Alimento – Tudo aquilo que ingerimos na dieta diária (leite, pão, queijo, sucos, frutas, feijão, carnes, etc.);
* Nutrientes – Substâncias contidas nos alimentos que possuem funções variadas no organismo e que podem ser bons ou ruins (depois vamos falar sobre os mais importantes);
* Genética - (do grego genno; fazer nascer) é a ciência dos genes, da hereditariedade e da variação dos organismos. Ramo da biologia que estuda a forma como se transmitem as características biológicas de geração para geração (“roubei” a descrião da Wikipedia! rsrs), ou seja, se tivermos herdado genes para a obesidade, vamos ter mais dificuldade para mantermos o peso ideal;
* IMC – Índice de Massa Corporal – é a relação entre o peso e a altura, e é calculado dividindo–se o peso corporal pela altura ao quadrado (altura x altura);
* Fator de risco – Qualquer fenômeno, alteração física, genética, bioquímica (verificada pelos exames de sangue) ou eventos psicossociais (stress, depressão, hábitos regionais, etc.) que podem contribuir para o desenvolvimento de doenças;
* Percentual de gordura – Quantidade de gordura que possuimos no corpo e que é de extrema importância para avaliarmos se temos excesso de peso, uma vez que é o excesso de gordura corporal que pode desencadear doenças relacionadas ao peso corporal inadequado;
* Célula – Estrutras que compões todos os tecidos do organismo e que apresentam formas e funções variadas. Possuem estruturas extremamente complexas e de importância vital para o bom funcionamento do organismo;
* Hormônios – Substâncias produzidas em algumas partes do corpo que desempenham funções diversas no organismo, podendo agir no local de produção, em locais próximos ou distantes, levados através do sangue. Alterações na produção de hormônios podem levar ao surgimentos de diversos tipos de doenças como o diabetes, hipo ou hiper tireoidismo, disturbios do ciclo menstrual, etc.
* Neurotransmissores – substâncias que levam sinais de uma parte a outra do corpo. Atualmente sabe-se que defeitos nos neurotransmissores podem ser responsáveis pela resistência a insulina , por exemplo.
* Carboidratos – Principais nutrientes responsáveis pelo fornecimento de energia do organismo. Representados pelos açúcares simples (sacarose, glicose, frutose,etc.) e pelos carboidratos complexos (amido por exemplo);
* Proteínas - Chamados de nutrientes “plásticos”, as proteínas são responsáveis pela “estrutura” dos tecidos, como os tijolos de uma casa;

* Lipideos ou gorduras – São nutrientes que também fornecem energia e entram na formação das membranas celulares, hormônios, e possuem um papel de proteção no organismo (como isolante físico e térmico). Seu excesso pode ser responsável por uma série de doenças que vamos falar em postagens futuras;
* Vitaminas e Minerais – Nutrientes que fazem parte de todas as reações que ocorrem no oragnismo sendo de extrema importância o seu consumo regular através de alimentos como as frutas, verduras e legumes;
* Fibras - Nutrientes encontrados nos alimentos de origem vegetal e que não são digeridos pelo nosso organismo ou digeridos parcialmente, mas mesmo assim possuem diversas funções importantes.
Bom, acho que chega!
De qualquer forma, esta postagem vai servir como um guia rápido quando pintar alguma dúvida.
Caso queiram saber sobre alguma coisa que não foi descrita, é só perguntar!

Amigas nutricionistas, acrescentem seus comentários!!!!!!
Até a próxima!

sábado, 7 de março de 2009

Emagrecendo.....

Antes de falarmos sobre emagrecimento, algumas considerações que acho importantes:

* Nosso peso ideal nem sempre é o indicado nas tabelas de IMC (Índice de massa corporal = peso divido pela altura em metros ao quadrado);

* O peso corporal não deve ser avaliado somente pelo peso da balança, ou seja: é importante sabermos quanto o peso de gordura representa no peso corporal total, afinal, é o excesso de gordura corporal que faz mal a saúde;

* Dieta não é a melhor opção para perda de peso definitiva;

* Emagrecer não significa privação e sim consciência daquilo que comemos;

* Mais importante do que estar magro, é estar saudável;

* A atividade física regular é fundamental para o controle e manutenção do peso adequado;

Então vamos lá!
Emagrecer é matemática pura: se consumimos menos calorias do que gastamos, perdemos peso. Este é o princípio da maioria das dietas. Porém, a médio e longo prazo a redução do consumo calórico faz com que o corpo se adapte a esse consumo, reduzindo e até mesmo cessando a perda de peso. Normalmente é nesta fase que algumas pessoas voltam a engordar.
Atingindo o peso ideal, abandonamos a dieta ou começamos a permitir alguns excessos e as calorias extras consumidas são estocadas lentamente no tecido adiposo, levando ao ganho de peso.
O que fazer?
Em primeiro lugar, desistir das dietas. Isso mesmo! Desistam das dietas, principalmente as famosas dietas da moda!
Segundo, sabermos exatamente quais nossas necessidades de calorias e nutrientes e seguirmos uma rotina alimentar adequada para que estas sejam supridas.
Outro ponto importante é que devemos adaptar a alimentação ideal a nossa realidade. O que quero dizer? Nem sempre podemos comer de forma ideal se nossa rotina não nos permite, e é por isso que as dietas só funcionam por tempo determinado.
É muito difícil com o tempo passando cada vez mais rápido perdermos tempo com a alimentação. Eu nem deveria concordar com isso, mas é verdade! Trabalho, filhos, família e outras obrigações, acabam ocupando mais tempo na nossa agenda do que a nossa saúde! É uma pena, mas realidade pura!
Encontramos em qualquer banca de jornal, livraria, internet e outras fontes, informações sobre alimentos saudáveis, chás que ajudam a emagrecer, alimentos que fazem bem ou mal, mas nem sempre o que realmente é adequado a cada um de nós.
Para manter a saúde em dia e o peso “ideal” precisamos seguir uma rotina alimentar personalizada, além de bom senso e conhecimento sobre o funcionamento do nosso organismo.
E é sobre isso que falaremos nos próximos “capítulos”.
Até lá!