sábado, 21 de fevereiro de 2009

Emagrecimento (reflexões)

Oi pessoal!
Vamos aos resultados das pesquisas. Quem votou, obrigada!
Assim fica mais fácil escrever e agradável para ler (espero!!! rsrrs).

Um parêntesis: estou mudando a aparência do blog porque ainda não cheguei ao modelo que quero (não sei fazer um personalizado ainda, mas espero chegar lá embora tenha gostado desse último formato – se quiserem opinar, obrigada mais uma vez!).

O resultado da enquete foi o seguinte: a maioria preferiu o assunto emagrecimento. Em segundo, o assunto propriedades dos alimentos, seguido de suplementos alimentares e dietética chinesa com o mesmo número de votos. Vou priorizar o emagrecimento com todas as suas variáveis, mas vou falar sobre todos os temas votados e muitos outros.
Mas antes de começar, acho importante falar sobre alguns aspectos que o tema emagrecimento pode envolver.

No último final de semana, tive uma aula sobre "Transtornos Alimentares", assunto diretamente ligado a este assunto. Talvez porque emagrecer ou estar magro seja a "onda" do momento, mas é uma “onda” que me preocupa e a boa parte das pessoas que trabalham com saúde.
Confesso que fiquei impressionada com os casos de anorexia e bulimia (transtornos alimentares mais estudados e cada vez mais presentes na nossa sociedade), causados principalmente pela imposição da mídia e pelas diretrizes da moda atual, e que nos levam a como percebemos nossa imagem corporal e de como esta pode estar impressa na sociedade.
Não pretendo me estender neste primeiro momento, mas transtornos alimentares são muito mais do que não comer ou colocar tudo para fora depois de consumir uma grande quantidade de alimentos (atitudes características destes dois transtornos), e sim o comer compulsivamente em alguns momentos, comer alimentos "diferentes", ou ficar determinado a comer somente alimentos com propriedades de saúde e sem nenhum tipo de agrotóxico...
São muitos os transtornos alimentares! E acho que vale revermos nossos conceitos, porque quem “realmente” precisa perder peso deve saber que este processo deve ser lento e acompanhado de mudanças que não devem ser momentâneas, mas sim gradativas e "praticamente" eternas! E de uma maneira que não prejudique nossa saúde.
Vamos pensar um pouco sobre isso?
Na próxima postagem, vamos falar sobre o processo de perda de peso e de todas as suas vertentes, mas com consciência e saúde principalmente!
Até lá!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Começando a se alimentar bem!



Todos sabemos que comer de forma mais equilibrada pode contribuir para melhorar a saúde, a disposição, o sono, o humor, controlar o peso e de um modo geral, para o bem estar.
Mas quando pensamos em melhorar a alimentação, pensamos também que isso pode siginificar abrir mão daqueles "alimentos" que mais gostamos ou até mesmo termos que nos privar daqueles momentos em família ou com os amigos, normalmente regados a comidas mais calóricas acompanhadas de bebidinhas também calóricas e de guloseimas que podem nos fazer perder a cabeça!
Quem também nunca resolveu começar uma "dieta" (sou muito cuidadosa em utilizar este termo, já que de cara siginifica - NÃO PODE!) na segunda feira e no final do dia já não tinha desistido?
Então, que tal mudar seus conceitos?
Comer bem não significa (de certa forma) nada disso.
Informações sobre alimentos funcionais, dietas da moda, receitas milagrosas, chás que emagrecem, "doces que não engordam", estão em diversos lugares, acessíveis a todos.
Mas o que realmente funciona? Será que realmente funciona para todos? Quanto de tudo isso é verdade ou mentira, vai do nosso bom senso. Vamos aos fatos, chás não emagrecem, não existem doces que não engordam, pizza e cerveja ou vinho podem fazer parte de uma alimentação saudável, e dietas só funcionam quando FAZEMOS a dieta, ou seja, bom senso é a chave para comermos bem e sermos felizes!
Vou tentar (devagar é claro) porque as informações são muitas, escrever um pouquinho da minha experiência do que pode dar certo (algumas coisas funcionam para algumas pessoas e para outras não), e do que realmente pode atrapalhar o caminho para uma alimentação melhor e mais saudável!
Mas seguem algumas perguntas para que possam analisar como anda sua alimentação!

* Costuma beber uma média de dois litros de água por dia?

* Come com intervalos regulares (pelo menos a cada quatro horas)?

* Come frutas, verduras e legumes diariamente?

* Costuma sentir-se "cheio" após as refeições?

* Come frituras, produtos industrializados, salgadinhos e consome bebida alcoólica com frequência?

* É viciado em algum tipo de alimento mesmo sabendo que pode não fazer bem para a saúde?

Pronto! Respondendo a estas perguntas (e enviando seu comentário), podemos falar sobre os erros mais comuns que podem fazer toda a diferença na hora de escolher uma melhor maneira de começar a se alimentar bem!

Abraços a todos!

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Alimentação e Saúde


A maioria das doenças, principalmente as crônicas, está relacionada com o que as pessoas comem e bebem, assim como com suas atividades diárias e seu ambiente físico e social. Desta forma, a alimentação está diretamente, relacionada com as esferas psicológicas e sociais da vida humana e, portanto, pode contribuir para o bem estar bio-psico-social do indivíduo.
A alimentação atende as necessidades nutricionais de calorias e de nutrientes, que garantem o crescimento, desenvolvimento e funcionamento ideal do organismo e o não atendimento destas necessidades pode comprometer a saúde do indivíduo.
A integridade do organismo pode ser comprometida tanto por carências nutricionais quanto pelos excessos alimentares, que irão afetar, não só o seu bem estar físico, mas a própria vida em sociedade.
A informação é um componente essencial na formação e construção de hábitos, mas não é suficiente se levarmos em consideração que o comportamento humano é determinado por diversos fatores como cultura, religião, hábitos familiares, capacidade econômica, e outros que contribuem para a formação do comportamento alimentar dos indivíduos.
A obesidade e as doenças a ela relacionadas é hoje um problema que merece muita atenção uma vez que pode diminuir a capacidade de trabalho das pessoas e aumentar o perigo de acidentes vasculares, doenças cardíacas e na vesícula, além de uma variedade de formas de câncer.

A má alimentação é hoje um dos grandes problemas das sociedades e é importante que os conhecimentos sobre a função dos nutrientes no organismo (seu excesso ou sua carência) sejam do conhecimento de todos.

Pretendo trazer informações sobre alimentação e nutrição e contribuir para que suas escolhas alimentares permitam que seu corpo e sua mente desempenhem suas funções com o máximo da sua capacidade, garantindo seu bem estar físico e psicológico, sem esquecer que a alimentação também é uma fonte de prazer, “sensação” indispensável para a felicidade!

Até lá!